COMO ESTUDAR A BÍBLIA

É indispensável uma atitude espiritual. É de suma importância que o leitor se aproxime da Bíblia de modo reverente, vendo-a como a Palavra inspirada de Deus, e não somente como literatura.

A necessidade consciente é essencial. A Bíblia deve ser estudada com a mesma ânsia com que uma pessoa faminta busca comida.

A leitura disciplinada de uma porção da Palavra a cada dia pode ter algum valor como exercício religioso, mas para obter-se um benefício completo de suas verdades, elas devem ser adaptadas às necessidades pessoais.

Um padeiro pode vender muito pão em um dia e achar-se faminto ao final de sua tarefa; assim também, uma pessoa poderá ler grandes porções da Palavra de Deus e obter pouco proveito desta, a menos que a faça sua, apropriando-se e alimentando-se dela.

O conhecimento mediante o estudo pessoal é o melhor. Muitos cristãos se satisfazem em receber toda a verdade filtrada pela mente de um professor, de um pastor ou de um comentarista; raramente, ou nunca, vão ao Livro dos livros para um estudo independente.

Tais pessoas, inevitavelmente, convertem-se em simples reflexos de opiniões alheias. Elas não estão “fundamentadas na verdade”, mas sujeitas a ser “levadas ao redor por todo vento de doutrina”.

É muito importante para a criança o dia que ela aprende a alimentar-se por si mesma, assim, também, inicia-se nova era na vida do crente quanto este forma o hábito de ir diariamente à fonte original da verdade espiritual para sua nutrição pessoal.

Estude a Bíblia como um viajante que deseja obter um conhecimento completo e experimental de outro país.

Vá pelos vastos campos da verdade; desça a seus vales; suba suas montanhas de percepção; siga suas correntes de inspiração; visite suas maravilhosas galerias de obras de arte.

Lembre-se que muitos erros doutrinários têm surgido da falta de perspectiva espiritual, ou de um ponto de vista limitado da verdade bíblica. O salvador diz: “Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus.” – Mat. 22:29.

Trate de entender as coisas profundas de Deus. Estude a Palavra como um garimpeiro escava a terra em busca de ouro, ou como um mergulhador desce às profundezas do mar em busca de pérolas.

A maioria das grandes verdades não estão na superfície, e por isso só podem ser trazidas à luz mediante trabalho paciente.

Adote um método sistemático. A leitura casual de uns poucos versículos das Escrituras cada dia é melhor do que nada, mas não constitui um estudo real da Bíblia. Simples porções da verdade não produzem cristãos sólidos.

O método de temas consiste em escolher e seguir um tema através das Escrituras. Como o sistema de referências em cadeia se ajusta perfeitamente a este método, é desnecessário nos entendermos melhor sobre ele.

O método biográfico, ou o estudo dos personagens da Escritura, oferece muito interesse e proveito.

Para o estudo dos livros, escolha um e procure estudá-lo a fundo; descubra o seu autor, a quem foi dirigido, as circunstâncias sob as quais foi escrito, seu propósito, seus ensinos principais, etc.

O estudo de capítulos e passagens importantes familiariza o estudante com as preciosidades da leitura bíblica.

Memorize alguns versículos importantes que possam ser úteis em uma emergência. Uma passagem da Escritura à mão é de grande valor. O cristão deve possuir, bem ordenadas em sua memória, passagens que sempre estejam disponíveis.

A memorização das verdades bíblicas coloca armas defensivas e ofensivas nas mãos dos crentes.