Já escrevi e palestrei sobre vícios em tecnologia e até fiz testes pra ver se sou ou não viciado em tecnologia. A tecnologia faz parte do meu dia a dia e acompanho o crescimento da internet com seus benefícios e problemas desde 1994.

Muitos especialistas consideram a dependência por tecnologia como algo nocivo do mesmo nível de álcool, tabaco, jogos, sexo e drogas.

Essa dependência por tecnologia vem crescendo a cada ano e a cada dia que passa parece que fica impossível de viver sem tecnologia. Principalmente para os mais jovens que já estão nascendo em um mundo em que a tecnologia faz parte de cada minuto de vida.

As novas tecnologias tornam a vida mais fácil e também produzem mudanças nos hábitos sociais e costumes, mas o seu uso compulsivo pode tornar uma dependência que vai prejudicar sua saúde.

Muitos não conseguem discernir esse problema por motivo que o consumo excessivo das tecnologias parece que se encaixa nos padrões da sociedade moderna e só conseguem entender que estão com um grave problema e pedem ajuda quando chegam próximo do fundo do poço, isto é, quando são pressionados pela família e amigos.

Assim como o bom uso das tecnologias pode ajudar no aprendizado, o uso de forma indevida dificulta o aprendizado de jovens. Alguns professores mencionam que muitos alunos elaboram trabalhos escolares com informações retiradas diretamente da internet sem que o conteúdo fosse lido ou alterado. Apenas usam o aprendizado do copiar e colar.

Antes de continuar lendo sobre esse assunto, convido você pra assistir essa matéria realizada pela equipe do programa NT Repórter da TV Novo Tempo. A professora Martha Gabriel e o consultor René de Paula são renomados palestrantes e vivem no mundo da tecnologia diariamente. Analise o que eles comentam nesta matéria.

Existem várias dicas para você identificar se é um viciado em tecnologia, mas a mais eficiente é fazer um desafio de ficar sem tecnologia por um longo período de tempo. Tente ficar uma semana sem usar nenhum aplicativo do seu celular (apenas atenda ligações) e sem conectar na internet. Alguns sintomas poderão surgir e você mesmo já vai perceber que precisa tomar cuidado ou até mesmo que deve procurar ajuda.

Procure fazer esse desafio de ficar 100% off-line por um tempo. Você vai perceber que ainda existe um mundo real e não apenas um mundo virtual.

Mas ficar 100% off-line no mundo que vivemos pode não ser a solução. Você pode identificar os problemas, mas precisa saber lidar com os problemas e também precisa entender que a tecnologia faz parte do nosso dia a dia e que precisamos usar com sabedoria.

Entenda que nós não vivemos para a tecnologia, mas que a tecnologia faz parte do nosso mundo e precisamos é saber lidar com ela e aproveitar o que ela oferece de melhor.

Existe um filtro muito antigo e que continua eficiente para reprimir qualquer tentativa de vício na internet. O famoso filtro F4.8: “Por último, meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e descente.” Filipenses 4:8.

[Artigo escrito em 2011 para o Blog Vanio Fortes e F12Com]